Seja bem vindo, mistico buscador!!!!

Acompanhe minhas postagens e aprenda o caminho para a luz e para o conhecimento oculto



domingo, 24 de junho de 2012

Maçonaria e São João

Maçonaria e São João



                Hoje é um dia comemorado nas lojas maçônicas do mundo, pois é o dia de seu padroeiro: São João. João além de ser aquele que batizou Jesus, também era aquele que escreveu o evangelho mais místico, além do Apocalipse, apesar de serem supostamente pessoas diferentes. Como tudo na maçonaria, mais vale o símbolo. E assim fugi um pouco da caipirice, apesar de ser eu também meio caipira em sotaque. Adentro nessa que é a fraternidade iniciática mais famosa da história, dos irmãos do esquadro e do compasso. Sendo em princípio ordem de construtores ou pedreiros, se tornou uma ordem filosófica com a influência de rosacruzes e assim busca a evolução e progresso da humanidade, e a fraternidade entre os homens, conciliando suas diferenças. São João estimava muito a fraternidade, e por isso ter ficado como padroeiro. E na verdade é o São João de Jerusalém João Smoler) o patrono, que era protegido dos soldados da Cruzada, e viveu em torno do ano 500 de nossa era, fundando hospital e Ordem de Cavaleiros Hospitalares.
            Ao serem abertos os trabalhos ritualísticos de uma loja, ou mesmo ao se chegar em uma, se deve proferir o nome de João. Vemos que o símbolo não é sem sentido, pois João/Ioannes significa porta, portal, e assim podemos pensar na iniciação. A maçonaria não é religião, mas nem por isso deixa de ter seus ritos com simbologia cabalística, alquímica, remontando as escolas de mistérios da antiguidade. A iniciação é morte simbólica e assim João foi decapitado. Espíritos de elevada hierarquia como anjos dizem aparecer apenas a sua cabeça. A iniciação poderia ser comparada a uma conversão religiosa (semelhante ao batismo de João Batista...), apesar de que aqui falamos em um grupo de homens com mentalidade semelhante, e ajuda mútua. Também vemos no céu a estrela Orion identificar a simbologia de João, que seria comparado a Leão/Judá, assim rei e também a Salomão. Não sem sentido, a loja maçônica imita do templo de Salomão, e seu principal herói é Hiram Abiff, líder na construção nesse templo.
             Na verdade a comemoração é de solstício (mudança de estação de inverno e de verão...) e usa de um João para o de verão (Evangelista, 24 de Junho) e o de Jerusalém para o de inverno (27 de dezembro). Os solstícios indicam dias e noites mais longas ou curtas e assim portais para o céu. De grande importância ritualística. Assim a fraternidade dos filhos de uma viúva pode se dedicar a essa comemoração, que hoje em especial é venerada no  mundo todo. Não apenas comer doces em festa junina, mas relembrar a obra desses grandes iniciados, esses vários João (Evangelista, Batista e de Jerusalém..) e assim divulgar o amor e a fraternidade humana, para que siorvam de exemplo por suas obras que marcaram a história. As lojas maçônicas tem a comemorar pois o João Smoler fundou ordens de cavaleiros e hospitais, e ainda tinha relação com os Templários, os quais foram a base da ordem Mac.’..

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Anjos e demônios: diferentes mas semelhantes

Anjos e Demônios: diferentes mas semelhantes



                Eu estava lendo ontem um livro de Ambelain sobre teurgia e percebia que a diferença que colocamos entre esses seres ou forças inteligentes a que batizamos de anjos e demônios não é tão gritante assim. Mesmo porque a noção que temos de anjo vem da palavra grega daemon, que em tese seria a mesma coisa. A descoberta recente é que as esferas ou sephirot da cabala são a mesma coisa que os anjos, ou seja, intermediários entre Deus e a humanidade. Na prática claro que existem diferenças, mas também muitas semelhanças, principalmente quando se pensa na queda dos anjos.
            Comecemos pelo princípio. Deus não se “contamina” com a imperfeição, logo usa de trabalhadores, arquitetos espirituais para trabalhar a Criação: os anjos (noutras culturas chamados de devas, demiungii, logoi, deuses etc..). Alguns desses anjos forma chamados de demônios, apesar de que em verdade o que poderíamos entender por daemons seriam os antigos “deuses’, espíritos de goécia, que tanto atraiam feiticeiros na Idade Média. A diferença básica entre anjos e demônios é a seguinte, e não se trata de um ser bom e outro mau, pois uns podem ser maus e outros bons: a diferença é que demônios são criativos e criam leis novas, e anjos obedecem às leis a que foram inseridos. Desde modo, nos aparentamos mais com os demônios que com anjos, haja vista as transformações que operamos nas leis.
            Na Bíblia, em muitos contatos com o Senhor, na verdade eram os anjos que travavam contato com profetas. Também no livro de Jó se vê Satã servindo ao Senhor Deus e em episódio de Moisés no Egito e no êxodo, se vê magia que parece usar deles, o anjo da morte e mesmo as pragas, que são trabalho que possivelmente somente essas entidades demoníacas fariam. Assim vemos que ninguém é inútil no mundo, ou nos mundos. Sabemos que existe a redução da luz divina, mas nunca a ausência da luz. Mesmo nos piores seres sempre há uma semente de esperança, e seja em anjos caídos, em daemons fiés a ordens de pragas do Egito, anjo da morte fiel, ou no demônio que matou esposos de Sarah, anjo que anunciou Jesus a Maria e outros, sabemos que todos esses seres participam de nossa realidade, trazendo o infinito em emanação. Mas na cabala os anjos são chamados de “animais sagrados”, o que nos leva a crer que a aparência não nos deve ser norte de julgamento, nem maniqueísmo de bem e mal.